Boa Leitura


Como receber pessoas "imperfeitas" na igreja?
O que têm em comum um budista, um casal de motoqueiros, um ativista dos direitos homossexuais, um nômade, um engenheiro, um muçulmano, uma jovem mãe solteira, um judeu, um casal que vive junto sem ser casado e um ateu?
Escrito para pastores, líderes e todos os interessados em ampliar o impacto exercido pela Igreja, Proibida a entrada de pessoas perfeitas mostra como criar a cultura do tipo "venha como você está", auxiliando na difícil tarefa de construir uma ponte sobre o abismo existente entre a igreja e o mundo pós-moderno.

Atual e relevante, esta obra essencial apresenta caminhos para derrubar as barreiras que afastam as novas gerações do amor de Deus. Burke lembra que Deus continua utilizando o mesmo método usado em todas as gerações: institui sua igreja contando com pessoas imperfeitas, em situações aparentemente sem esperança. Ninguém está tão longe ou perdido que Deus não o possa alcançar!


Muitos cristãos têm adotado a mentalidade do "nós-contra-eles." Evitam qualquer coisa que pareça "secular", da arte à política, da ciência ao lazer. O resultado é uma subcultura repleta de coisas "cristãs": música, viagens, reuniões de executivos, seminários, redes de televisão, etc.
Em O Cristão e a Cultura, Horton demonstra  que as divisões entre secular e sagrado freqüentemente se baseiam em pressupostos falsos ou em telologia equivocada. Ele apresenta um dasafiante e provocante chamado aos cristãos para estarem inseridos no mundo, embora permanecendo distinto dele.


O escândalo da graçaO evangelho maltrapilho foi escrito para pessoas aniquiladas, derrotadas e exauridas. Pessoas que se acham indignas de receber o amor de Deus. Quem sabe, ignoradas pela comunidade de cristãos por não se encaixarem no perfil de super-homem ou de supermulher que lhes é constantemente exigido. Pessoas cansadas da espiritualidade superficial e consumista. Pessoas que travam inúmeras batalhas interiores por não se sentirem parte de uma comunidade afetiva e acolhedora.

É um livro que escrevi para mim mesmo e para quem quer que tenha ficado cansado e desencorajado ao longo do Caminho, confessa o autor.

Franco e provocador, o aclamado filósofo e teólogo cristão
Brennan Manning estréia em língua portuguesa com sua principal obra, que nos convida a depositar nossa esperança na amplitude da graça, capaz de alcançar pecadores e pobres em espírito, e de resgatar nossa dignidade original. No mínimo, você não ficará indiferente a ela.